sábado, 12 de maio de 2012

Saudade

Texto escrito há algum tempo, mas que até hoje fala sobre como eu vejo e sinto esse sentimento tão paradoxo, que sentimos a cada dia. Espero que gostem.
Saudade é aquela vontade de querer estar perto de quem não alcançamos. E um aperto no peito com um nó na garganta, que nos vem a cada tentativa frustrada de pegar o passado e transportar ao presente. Saudade, palavra exclusiva do vocabulário português, que expressa tão bem a angústia lancinante da perda de alguém... em qualquer cultura. Saudade é querer abraçar o mundo e só entrelaçar uma árvore. É olhar o infinito do mar e sentir falta de você... Saudade é procurar no céu aquela estrela que surgiu com a perda daquele que amamos. É se olhar no espelho e buscar os traços do rosto já meio apagado na memória, que nos representa tanta coisa... Saudade é sentir o cheirinho da infância feliz, ouvir a música dos momentos comuns. É lembrar, em detalhes, de tudo que aconteceu, no dia em que a fotografia que você está olhando, foi tirada. Saudade é sentir frio por dentro. É querer o colo reconfortante que não voltará. Saudade é analisar todos os seus atos e imaginar se a pessoa que nos faz falta os apreciaria. Saudade é olhar o seu cão abanando o rabinho e lembrar-se das manhãs na praia. É sentir a brisa tocar o seu rosto como o afago desejado. Saudade é olhar ao redor e ver o lugar vazio ao seu lado. Saudade é aquela ferida que jamais cicatrizará e, sempre nos mostrará a importância de viver o presente como ele o é: único. Saudade é querer estar perto e não conseguir. É chegar ao topo da montanha e não apreciar a vista. Saudade é o que eu estou sentindo agora. É esse sentimento doído que me faz perceber que tudo o que sou hoje devo a todos os momentos vividos até aqui. Saudade é não poder olhar nos seus olhos e dizer: “Obrigada por tudo! Eu te amo!”
Fernanda Roman

2 comentários:

Suuu disse...

Lindo!

O melhor texto de todos, Fê!

Froman disse...

OBRIGADA, SU!!